domingo, 26 de janeiro de 2014

UM ANO DE 2014 REPLETO DE CONTRIBUIÇÕES DA MUSICOTERAPIA


QUE ESTE ANO DE 2014 A MUSICOTERAPIA E OS SEUS PROFISSIONAIS POSSAM CONTRIBUIR AINDA MAIS EFETIVAMENTE EM MAIS ESPAÇOS E COM MUITO MAIS POSSIBILIDADES DE CLIENTELA E RESULTADOS POSITIVOS. COM CERTEZA, COM A ENTRADA NO SUS- SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (AGOSTO-2013-cobertura em todos os procedimentos) e JÁ ANTES NO SUAS - SISTEMA UNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL e ATENDIMENTOS PARTICULARES MAIS BRASILEIROS SERÃO BENEFICIADOS PELO ATENDIMENTO CIENTÍFICO, HUMANIZADO , PRAZEROSO, DIFERENCIADO E RESPONSÁVEL QUE SÓ O PROFISSIONAL QUALIFICADO , MUSICOTERAPEUTA (graduado/pós-graduado) SABE DAR . A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE SÓ TEM A GANHAR AO VER SOMADO A MESMA,  ESTE PROFISSIONAL QUE CONSEGUE FAZER A DIFERENÇA E MODIFICAR AMBIENTES E ATÉ MESMO AJUDAR NA ADESÃO AO TRATAMENTO.
AQUI NO PIAUÍ TEMOS GRANDES NOVIDADES:
BREVE A NOVA TURMA DA PÓS GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ ESTARÁ REALIZANDO SEUS ESTÁGIOS ACOMPANHADA DE OUTROS PROFISSIONAIS MUSICOTERAPEUTAS DA AMT-PI ( ASSOCIAÇÃO DE MUSICOTERAPIA DO PIAUI)  E JÁ ESTARÃO FAZENDO DIFERENÇA EM ALGUNS LOCAIS CARENTES DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO. AGUARDEM ...

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

E VIVA A MÚSICA !!!

                                                                         foto cheiro do alecrim


                            MÚSICA: O QUE REPRESENTA EM SUA VIDA?
                                                 Mt Nydia do Rego Monteiro

         Perguntei a pacientes e algumas mães de pacientes o papel que a MÚSICA representava na vida deles e as frases significativas que ouvi foram estas:
      -   traz o meu bem estar .”(este sofreu um traumatismo craniano em um acidente de moto e ficou paraplégico.)
     -   É o ar que eu respiro.”(este era funcionário público e músico amador. Ficou tetraplégico ao cair de uma árvore e mal conseguia respirar. Hoje canta com toda a alma e consegue se acompanhar em um teclado dando shows.)
     -   “Cada dia descubro novas possibilidades na música.”( Mais um que ficou hemiplégico sem movimento também em uma das mãos e pernas, causado por acidente de moto.)
       -  “É paz, amor. É descoberta para minha filha todos os dias.” (Mãe de uma criança mal formada dos membros superiores e inferiores que mesmo sem braços tem conseguido se superar, surpreendendo e toca todos os instrumentos musicais que lhe são oferecidos. Iniciou musicoterapia ainda  bebê.)
      -   “É inspiração.” Mãe de criança que nasceu com surdez e ao fazer implante coclear com 1 ano também iniciou atendimento no setor de musicoterapia. Hoje ouve todos os sons e se “inspira” com músicas ...
     -    É sensibilidade ...” Mãe de criança com paralisia cerebral em tratamento no setor de musicoterapia do centro de reabilitação que também tinha uma grande dificuldade de ter prazer, bom humor e se relacionar.

         A ciência comprova que a música e elementos sonoros (som, ritmo, melodia, harmonia, vibração e outros) estimula quase todas as áreas do cérebro como: córtex auditivo, motor, sensorial, pré-frontal, visual, corpo caloso, cerebelo, gângios basais, núcleo accumbens, amigdala, hipotálamo. Provoca interferência no funcionamento fisiológico de nosso organismo como : respiração, frequência cardíaca, dor, prazer, entre outros. Tudo isso tem sido muito estudado e comprovado. Nós, seres humanos, em nosso dia a dia, sentimos, sabemos e utilizamos intuitivamente  a “Música” em toda a sua plenitude com o o seu poder holístico em nossas vidas até mesmo antes de darmos à luz a nossos filhos
         E por estas respostas tão lindas e que se complementam dadas por pessoas que em momentos difíceis de suas vidas utilizam também a MÚSICA  de forma terapêutica com a ajuda de um profissional capacitado, o MUSICOTERAPEUTA, realmente comprovamos o quanto a música é completa e atua no SER HUMANO. Levando-o também a atingir uma melhor qualidade de vida a atingir objetivos terapêuticos pré-estabelecidos, plenamente.

         Isso só vem comprovar o que todos nós sabemos: A MÚSICA É UM GRANDE ALIADO E PODE SER UM FATOR DE EQUILÍBRIO E CRESCIMENTO NA VIDA DO SER HUMANO.
      E VIVA A MÚSICA  ! Todos os dias de nossas vidas ...
                                            


                                               


                                               



          

sábado, 16 de novembro de 2013

AUTISMO, HIPERSENSIBILIDADE AOS SONS E A MUSICOTERAPIA NESTA INTERMEDIAÇÃO




                  * Mt Nydia do Rego Monteiro



         Estudos da Universidade de Montreal (ZILBOVICIUS, 2004), revelam que nos autistas as mesmas regiões cerebrais são ativadas, tanto para vozes humanas e outros sons. Há um atraso médio de 11 milissegundos no processamento do som e da linguagem  no cérebro desta clientela. (ROBERTS, 2010) Vários estudos também já comprovaram que a conexão entre os neurônios desta clientela pode vir acompanhada de ruído ou barulho, como a estática de um rádio. A Musicoterapia como trabalha científicamente com  elementos sonoros só vem a somar no tratamento com esta clientela, conseguindo excelentes resultados. Inclusive devendo estar presente, o mais precocemente em um tratamento especializado com estas crianças que precisam ter sua adequação da escuta,  processamento sonoro do meio em que vivem para melhorar a interação e comunicação. “Sons ou estímulos visuais que são tolerados por crianças normais pode causar confusão, dor e medo em algumas crianças autistas... se o seu filho coloca frequentemente as mãos sobre os ouvidos, este é um indicador de sensibilidade ao ruído. O problema está no cérebro.” (  Dra Temple Grandim- Autista Norte americana conhecida mundialmente )Ainda segundo a Dra Grandin, " Sons não previsíveis, como de alarmes , causam medo e doem os ouvidos. Crianças com menor sensibilidade, às vezes aprendem a tolerar os sons dolorosos quando são treinadas e antecipam o som. Se puderem ser diminuídos os volumes, suavizados, melhor.Segundo GOMES,PEDROSO e WAGNER (2008)  não se conhece a causa da hipersensibilidade auditiva que é a mais comum da anormalidade sensório-perceptual do autista com uma prevalência que varia de 15 a 100%, de acordo com os autores citados acima (& BERNARDES, 2007). Em relação a hipersensibilidade auditiva, utilizando o limiar de desconforto, 63% dos autistas não suportam estímulos acima de 80 dB. Há uma relação direta com o sistema límbico, podendo haver diminuição da hipersensibilidade com a idade ou não. A musicoterapia , com seu profissional qualificado e uma avaliação e testificação bem específica, pode colaborar com esta dessensibilização no atendimento especializado e intervenção cada vez mais precocemente. Conseguindo assim trazer mais qualidade de vida a esta clientela e também facilitar a entrada de outros profissionais a um tratamento multidisciplinar bem sucedido e inclusão social. Entre outros objetivos como ainda a melhora do (a): comportamento, interação, comunicação, desenvolvimento neuropsicológico, entre outros.
      *   Musicoterapeuta – atende também a esta clientela desde 1998 encaminhados por neuropediatras.


domingo, 27 de outubro de 2013

MUSICOTERAPIA DO PIAUÍ NO I CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE INVESTIGAÇÃO EM MUSICOTERAPIA- -PORTUGAL

TIVE A HONRA DE TER DOIS DE MEUS TRABALHOS SELECIONADOS PARA O I CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE INVESTIGAÇÃO EM MUSICOTERAPIA QUE SE REALIZOU DOS DIAS 10 a 12 DE OUTUBRO EM LOUSADA, PORTUGAL. ALÉM DE VISUALIZARMOS DE FORMA BASTANTE CLARA COM O DIAGNÓSTICO PRECISO DE COMO ESTÃO SENDO REALIZADAS AS PESQUISAS E PRÁTICAS NOS PAÍSES IBERO-AMERICANOS, TAMBÉM TIVEMOS O PRAZER DE CONHECER TRABALHOS DE ALTO NÍVEL DE COLEGAS MUSICOTERAPEUTAS : ARGENTINOS, ESPANHÓIS, PORTUGUESES, ITALIANOS, BRASILEIROS, entre outros.
MOMENTOS DE MUITA TROCA E CRESCIMENTO. ALÉM DE UMA ORGANIZAÇÃO IMPECÁVEL POR PARTE DA COMISSÃO ORGANIZADORA, O QUAL AGRADECEMOS ATRAVÉS DE: GUSTAVO GATTINO (BRASIL) e KARINA FERRARI (ARGENTINA). EM ESPECIAL A SALOMÉ E TODOS OS DE LOUSADA QUE NOS FIZERAM SENTIR EM CASA E JÁ COM MUITAS SAUDADES. UMA SUPER E CARINHOSA ACOLHIDA !!! A TODOS OS MEUS COLEGAS QUE ESTIVERAM PRESENTES, AGRADECIMENTOS PELA RECEPTIVIDADE ACIMA DE MINHAS EXPECTATIVAS EM RELAÇÃO AOS MEUS TRABALHOS, COM MUITAS TROCAS RICAS E INCENTIVOS. OBRIGADA !!!






quinta-feira, 25 de abril de 2013

BIBLIOTECA DA MUSICOTERAPIA BRASILEIRA

JÁ ESTÁ DISPONÍVEL ARTIGOS,MONOGRAFIAS,LIVROS E OUTROS ACERVOS DA MUSICOTERAPIA BRASILEIRA. INICIATIVA MARAVILHOSA DAS CONHECIDAS MUSICOTERAPEUTAS BRASILEIRAS CLARICE MOURA COSTA E CLARICE CARDEMAN.

http://biblioteca-da-musicoterapia.com/index.php

ACESSEM ...

"ESTE SITE FOI CRIADO COM O OBJETIVO DE CRIAR E PRESERVAR UM ACERVO, O MAIS COMPLETO POSSÍVEL, DOS TRABALHOS PRODUZIDOS PELOS MUSICOTERAPEUTAS BRASILEIROS."


CLARICE MOURA COSTA (ao centro)                                                    CLARICE CARDEMAN















Meus artigos publicados e disponíveis no site :


Musicoterapia


2009     Nydia do Rego Monteiro
        O Cérebro do Músico como Referencial nas Práticas Musicoterápicas do Século XXI

http://biblioteca-da-musicoterapia.com/biblioteca/arquivos/artigo//2009%20NYDIA%20o%20cerebro%20do%20musico%20como%20referencial%20nas%20praticas%20musicoterapicas.pdf

REABILITAÇÃO


2010     Nydia Rego Monteiro
        Proposta de um quadro referencial audiomusicoverbal do desenvolvimento neuropsicomotor da criança de 0 a 5 anos para a prática musicoterapêutica

2009     Nydia Rego Monteiro
        Aplicações da musicoterapia em reabilitação física na atualidade

http://biblioteca-da-musicoterapia.com/biblioteca/arquivos/artigo//2009%20-NYDIA%20Aplicacoes%20da%20musicoterapia%20na%20reabilitacao%20fisica%20na%20atualidade.[1].pdf

OUTROS


2011     Nydia Cabral Coutinho do Rego Monteiro
        Quadro do desenvolvimento audiomusicoverbal infantil de zero a cinco anos para a prática de educação musical e musicoterapia

http://biblioteca-da-musicoterapia.com/biblioteca/arquivos/artigo//2011NYDIAartigo%20quadro%20de%20desenvolvimento%20RBM[1].pdf

2010     Nydia Cabral Coutinho do Rego Monteiro
        Musicoterapia, a prática clínica vista sob a ótica da neurociência  ( artigo sobre a Musicoterapia com Autismo na minha prática clínica )


http://biblioteca-da-musicoterapia.com/biblioteca/arquivos/artigo//2010%20NYDIA_MT%20sob%20a%20otica%20da%20Neurocincia%20TID.pdf

PESQUISEM ...






quinta-feira, 18 de abril de 2013

OEIRAS - PIAUÍ AGORA TEM MUSICOTERAPEUTA

BOAS NOTÍCIAS ! A Musicoterapeuta VANDA MARIA QUEIROZ  de volta as origens presenteia sua cidade natal com MUSICOTERAPIA.
OEIRAS  SAI NA FRENTE E TEM MUSICOTERAPEUTA de 1ª com capacitação internacional atendendo a partir de MAIO no

Endereço do "Espaço Sonoro Alecrim":
Rua Cândido Aleixo, 78 - Sala 4 - 1º Andar 
Centro Oeiras - Piauí CEP: 64500-000

video

MUITOS SERÃO BENEFICIADOS COM A CHEGADA DESTA PROFISSIONAL MUSICOTERAPEUTA CAPACITADA E ASSOCIADA DA AMT-PI  na região de OEIRAS -PI E CIDADES VIZINHAS. ESTA PROFISSIONAL FEZ A DIFERENÇA EM SEUS ATENDIMENTOS NA APAE E NO CIES- CENTRO INTEGRADO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL em TERESINA-PI E é altamente especializada nacionalmente e internacionalmente sempre buscando atualizar-se em eventos científicos de nossa classe e frequentando cursos de capacitação regularmente. EU RECOMENDO !
www.associacaodemusicoterapiadopiaui.blogspot.com.br


segunda-feira, 8 de abril de 2013

UM CAPÍTULO SOBRE A PESQUISA EM MUSICOTERAPIA NO PIAUÍ EM LIVRO DA UFPI - 2013



Oportunidade de registrar a Musicoterapia e seus passos no Brasil e mais detalhadamente sua história no Piauí em um capítulo . Livro organizado pelo Prof. Dr. João Berchmans de Carvalho Sobrinho , responsável pelo Núcleo de Pesquisa em Música -NUPEMUS do Curso de Licenciatura em Música do Departamento de Música e Artes Visuais. Com a participação de mais 12 pesquisadores  da área de Música em suas diferentes temáticas: a musicologia, a educação musica, a etnomusicologia, as práticas interpretativas e a nossa "musicoterapia".  Agradecemos a oportunidade e aproveitamos para divulgar.

PRORROGADA INSCRIÇÕES ATÈ DIA 16 de ABRIL

ADITAMENTO DA UFPI PUBLICADO > VEJA:

Prorrogada seleção para Curso de Especialização em Música: Musicoterapia

05/04/2013 09:49
A Universidade Federal do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Ensino de Pós-Graduação (PRPG) e da Coordenadoria de Pós-Graduação (CGPG), torna pública a prorrogação das etapas relativas ao processo seletivo do Edital nº 001/2013- Lato Sensu, do Curso de Especialização em Música: Musicoterapia.


PÓS GRADUAÇÃO EM MUSICOTERAPIA NO PIAUÍ- UFPI 2013 2014




quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

EM 2013 VOCÊ É A PAZ



Lendo  no final do ano do 2012 sobre pesquisas que comprovam o que já sabia: o estrago que palavras mal colocadas ou agressivas podem causar em seres humanos fui impulsionada a escrever sobre este tema. Como musicoterapeuta, muitas vezes atendemos pessoas que sofrem dores e bloqueios variados causados por palavras geradas por “outros”em momentos de desamor , ou até mesmo de descarrego de desequilíbrios variados, até da “usada desculpa mensal” TPM. Ou por aborrecimentos normais do dia-a-dia como trânsito, discussões familiares que desencadeiam em agressões verbais que afetam muito mais do que se pode imaginar ! São as pequenas "guerras" que alimentam as "guerras mundiais"! E geram as nossas doenças individuais .

Por isso, neste 2013 o que posso desejar a todos é MUITA PAZ ! A PAZ do outro e do mundo depende de você diretamente ! Você é o responsável . Eu sou a responsável pela PAZ ! Nós somos a PAZ !

http://hypescience.com/palavras-sao-tao-dolorosas-quanto-lesoes-e-contusoes-cientificamente-falando/

UM 2013 CHEIO DE PAZ , A PARTIR DE VOCÊ !


NÓS SOMOS PAZ ! VAMOS FAZER A PAZ EM 2013!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012



HIPERSENSIBILIDADE AUDITIVA, HIPERACUSIA, FONOFOBIA: O MUSICOTERAPEUTA AVALIANDO, DESSENSIBILIZANDO, RESGATANDO O PRAZER DO MUNDO SONORO PERDIDO. CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE ESTE UNIVERSO AINDA DESCONHECIDO DA MAIORIA DAS PESSOAS...
                             Nydia do Rego Monteiro- 22 de Novembro de 2012-Dia da Música
Alguns indivíduos apresentam uma sensibilidade auditiva excessiva que os tornam intolerantes a certos sons, mesmo em níveis baixos de intensidade. Quando em grau severo, a hipersensibilidade a sons pode ter efeitos devastadores na qualidade de vida do indivíduo. Qualquer atividade diária com um mínimo de exposição sonora pode ser afetada ou até impossibilitada pela hipersensibilidade. Infelizmente, a hipersensibilidade a sons é pouco conhecida e até desvalorizada por grande parte das pessoas e até mesmo dos profissionais da área de saúde e médicos. Não existem dados precisos e atualizados sobre a prevalência de hipersensibilidade a sons na população geral e ainda são poucas as pesquisas sobre sua ocorrência. O estudo separado de cada tipo de hipersensibilidade a sons permitirá uma melhor compreensão do paciente e a adoção de tratamentos específicos. O Médico Otorrino, o Musicoterapeuta e Fonoaudiólogo são os  profissionais mais indicados para estudar, avaliar, detectar na clientela envolvida e buscar tratamentos específicos que auxiliem esta mesma clientela na melhoria da qualidade do atendimento terapêutico e/ou sua interação social. O Musicoterapeuta específicamente, dessensibilizando  e trazendo novamente qualidade de vida aos casos de maior desconforto auditivo. Um grupo de Musicoterapeutas Piauienses tem se reunido para pesquisar a partir de suas práticas clínicas sobre processos de dessensibilização com diferentes clientelas.
HIPERACUSIA
É a tolerância reduzida a sons, mesmo em intensidade moderada. Neste caso o indivíduo apresenta uma reação intensa e anormal das vias auditivas a sons comuns do meio ambiente, como o som de abrir e fechar uma janela, o som de uma torneira aberta, do funcionamento do computador, do tilintar do garfo no prato, por exemplo, devido a uma alteração no processamento auditivo central. Os limiares de audição não diferem dos limiares de indivíduos normais e, ao contrário do que sugere o nome, indivíduos com hiperacusia não ouvem mais que outras pessoas com audição normal. HYPERACUSIS NETWORK (2000) definiu a hiperacusia como um colapso da tolerância da sensação de intensidade. Para estes indivíduos todos os sons produziriam desconforto, uma vez que a intensidade sonora considerada como desconfortável, seria bem abaixo daquela julgada como desconfortável pelos outros. Para alguns deles, a hiperacusia significaria uma audição extremamente sensível, ou melhor do que possuíam anteriormente. JASTREBOFF & JASTREBOFF (2000) definiram a hiperacusia como um aumento da sensibilidade para sons. Relataram que a hiperacusia poderia resultar de mecanismos periféricos e centrais.
*TABELA DE TESTIFICAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE INTOLERÂNCIA AUDITIVA
COMPORTAMENTO
  PONTUAÇÃO      
Nenhum  comportamento
    0
Piscar  os  olhos
   1
Apresentar espasmos nos MMSS
   2
Irritar-se  e resmungar
   3
Colocar as mãos nos ouvidos
   4
Chorar
   5
*3 reações- o impacto na  adaptação a ambientes sociais ou terapias comunitárias como Fisioterapia e Terapia Ocupacional
*NASCIMENTO, Marilena. Musicoterapia e a reabilitação do paciente neurológico-”Modelo de dessensibilização na intervenção musicoterapeutica”-São Paulo: Memnon, 2009.
Ò  Tabela apresentada no livro
Como musicoterapeuta com experiência na área de neurologia e reabilitação  física temos acumulado já alguma experiência em dessensibilização com crianças com hiperacusia , cada vez mais precocemente com bebês e temos descoberto na prática tratamentos diferenciados ,  também com clientelas com zumbido como adultos e outras formas de dessensibilização para os hiperacúsicos surgidos pós-lesão cerebral.(Ainda em estudo)
E as hipersensibilidades associadas a certos sons ou seus significados que durante a Anamnese e Investigação cuidadosa na Ficha Musicoterapêutica que só o profissional Musicoterapeuta realiza é detectado com seu paciente antes de iniciar o tratamento ... Temos trabalhado com clientelas com :

FONOFOBIA
 É o medo da exposição sonora. Citados BASSANELLO,(HALL & MUELLER ,1998)  reação anormal do sistema límbico e autônomo, sem uma ativação dos sistemas, resultando em um aumento de conexões entre o sistema límbico e auditivo. PHILLIPS & CARR (1998) uma desordem central apresentando respostas condicionadas intensas para sons, quando não seria esperado provocar tal reação.               

O Profissional Musicoterapeuta está capacitado para tratar desta clientela por ser da área de saúde e fazer um levantamento áudio-sonoro extremamente aprofundado antes de iniciar tratamento. E ao estabelecer seus objetivos com esta clientela, seus recursos utilizados, técnicas e métodos são extremamente prazerosos, facilitando o estabelecimento mais rápido do vínculo terapêutico, não causar rejeição  e fluir com naturalidade durante as sessões. Pois utiliza-se recursos conhecidos como: canto, instrumentos musicais, tecnologia , gravações, tecnologia, relaxamentos, atividades lúdicas e outros. Cada vez mais o tratamento com a musicoterapia tem conquistado mais clientela e recomendações. E para auxiliar uma equipe multidisciplinar que tenha um paciente hiperacúsico com dificuldade de atendimento nas outras terapias, o profissional musicoterapeuta neste caso então, seria essencial para uma imediata orientação a equipe e dessensibilização a este paciente. Muitos casos de desligamento acontecem por causa destas hipersensibilidades e falta de conhecimento da equipe. E o pior, a falta de um profissional musicoterapeuta na equipe que diagnostique  e  colabore, dessensibilizando.

DICAS
Ò  HYPERACUSIS NETWORK (2000) recomendou como tratamento
da hiperacusia, o aconselhamento. Ressaltou também que os profissionais deveriam ter cuidado com exames que envolveriam o uso
de sons intensos, recomendando que o nível de tolerância aos sons
devesse ser conhecido antes da avaliação audiológica. Alguns cuidados
que o paciente deveria ter na sua rotina diária também foram relatados,
tais como: escolher cuidadosamente o material do travesseiro para que
ele não prejudique o seu sono, materiais ásperos geralmente incomodam
o paciente hiperacúsico; o período da manhã geralmente é mais crítico para estes indivíduos, então aconselha-se a ficar em um ambiente mais calmo; em festas é importante que o paciente chegue mais cedo para que se
acostume com os sons pausadamente; pode-se ajustar o barulho da água
do chuveiro para que não incomode; não entrar na cozinha e sim esperar
que as pessoas acabem de lavar e guardar louças para que os sons
possam ter diminuído; fechar a janela de carro, trem, ônibus em alguns
momentos; nos restaurantes não sentar em locais com muito barulho;
caminhar em parques ao invés de caminhar próximo aos locais de
trânsito; pode-se diminuir o volume do rádio ou da televisão quando for
ligá-los; na escola preferir professores homens devido ao timbre que é
mais suportável pelo paciente hiperacúsico; em locais onde há animais
colocar os tampões auriculares.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A MESTRA DA MUSICOTERAPIA BRASILEIRA LIA REJANE BARCELLOS



Aluna da Primeira Turma de Graduação do Conservatório Brasileiro de Música- RJ- 1972
Musicoterapeuta clínica. Doutora em Música (Musicologia-UNIRIO); Mestre em Musicologia. 
Especialista em Educação Musical. Graduada em Musicoterapia (CBM–CEU) e Piano 
(Academia de Música Lorenzo Fernândez). Formação no Método Bonny de Imagens Guiadas e 
Música – GIM (USA). Coordenadora, professora e supervisora de estágios do Curso de Pósgraduação em Musicoterapia e professora do Curso de Graduação em Musicoterapia (CBM–
CEU). Coordenadora da Clínica Social de Musicoterapia Ronaldo Millecco (CBM-CEU). 
Parecerista e Editora para a América do Sul da Revista Eletrônica Voices (Noruega). Editora da 
Revista “Pesquisa em Música” (CBM-CEU). Autora de livros sobre musicoterapia e trabalhos 
publicados em vários países. Membro do Conselho Diretor da  World Federation of Music 
Therapy e Coordenadora da Comissão de Prática Clínica por dois mandatos. (Foi quando saiu aquela maravilhosa definição Mundial da Musicoterapia democráticamente realizada por todos e até hoje utilizada por nós brasileiros.)  e Presidente da 
Associação de Musicoterapia do Rio de Janeiro (AMT-RJ) por dois mandatos. 
Acrescentaria, muito mais, como, modelo para muitos musicoterapeutas, inclusive para esta aqui. Responsável pela existência da Musicoterapia no estado do Piauí.( E de outros estados.) Porque além de copiarmos este modelo dela dos: "Cursos de "Introdução a Musicoterapia" para divulgarmos e esclarecermos mais sobre o assunto. Prepararmos a futura clientela das especializações e que seriam aqui a clientela madura já respeitada em suas antigas profissões que abriram mercado e produziram material de qualidade científica com a rapidez que precisávamos no nordeste.(E que tem provado que deu certo. E quem sabe, em breve criará a demanda para um curso de Graduação. )Graças a ela e seu apoio fizemos o projeto da Pós-Graduação em Música-Musicoterapia na UFPI com os profs Drs. Berchmans e Odailton Aragão.
-Já iniciaremos a 2ª turma de Especialização em Janeiro- 2012-
No 13º Simpósio Brasileiro de Musicoterapia em Curitiba a nossa querida mestra Lia Rejane demonstra e publica sua Técnica Provocativa Musical.2009 E que eu inclusive a utilizo bastante com minha clientela autista e outros encaminhados por neurologistas. Em trabalho apresentado no ENPEMT de Salvador já  cito a técnica como referência. (Acredito que muitos colegas também.)-2010
No 14º Simpósio Brasileiro de Musicoterapia em Olinda ocorrido agora, semana passada, com trabalhos maravilhosos e  a presença do Musicoterapeuta Alemão Thomas Wosch, mais uma vez, Lia Rejane nos surpreende com sua insuperável capacidade. Foi um dos pontos altos do Simpósio a Palestra da nossa Mestra como resultado de 10 meses de pesquisa  : LEVANTAMENTO SOBRE O ESTADO DA ARTE DA PESQUISA EM MUSICOTERAPIA NO MUNDO.

http://14simposiomt.files.wordpress.com/2012/02/final_-_xiv_simpc3b3sio.pdf
p.387

 O que para qualquer pessoa talvez fosse uma missão impossível para a Musicoterapeuta, pesquisadora, professora e nosso exemplo , não! Ela , nos apresentou como estão as pesquisas em todos os continentes. Mas mais do que isso. Nos demonstrou que mais uma vez nada é impossível quando se é Musicoterapeuta e se assumiu um compromisso e é "Lia Rejane" . E para todos nós, o melhor: temos um exemplo de profissional tão perfeito a ser seguido. Muito obrigada Professora Lia Rejane Barcellos por sua eterna generosidade  ! Seremos sempre gratos !



*Só para citar os dois últimos eventos, mas ela está presente em quase todos os eventos científicos aqui no Brasil e no exterior, apresentando trabalhos, discutindo e sempre atualizada.Nos enchendo de orgulho. E nos instigando a tentar  também !

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

DIA 15 DE SETEMBRO -DIA DO MUSICOTERAPEUTA

DIA 15 DE SETEMBRO- DIA DO MUSICOTERAPEUTA


 O MUSICOTERAPEUTA
Profissão que surgiu após a 2ª guerra mundial, com sua formação acadêmico-científica com grande força no mundo inteiro. No Brasil, o Musicoterapeuta é um profissional qualificado,   com sua formação oficialmente reconhecida pelo Conselho Federal de Educação em 1978 através do parecer 829/78 como curso de graduação. Temos cursos de pós-graduação que exigem também a formação musical prévia, uma graduação em áreas afins reconhecidas pelo MEC, além da carga horária exigida nas áreas de música, musicoterapia e saúde, também a exigência de estágios em diversas áreas da área clínica. 




 Só poderá exercer a profissão registrada no Código Brasileiro de Ocupação- CBO-Ministério do Trabalho com o registro- 2239-15, o profissional Musicoterapeuta que tiver esta formação (graduado e/ou pós-graduado), for registrado em uma Associação de Musicoterapia estadual ou regional que é afiliada a UBAM- União Brasileira das Associações de Musicoterapia. www.musicoterapia.mus.br

 Existem cursos de capacitação para os profisssionais(anuais), Encontros científicos estaduais anuais, Encontros de pesquisa em Musicoterapia (2 em 2 anos), Simpósio Brasileiro de musicoterapia (3 em 3 anos). Além dos congressos  mundiais que acontecem sem interrupção. Muitos, que se dedicam a área acadêmica buscam  a pesquisa contínua e recebem o título de mestres, doutores e pós-doutores contribuindo mais e mais para a expansão da área científica.


QUALIFICADO, REGISTRADO EM UMA ASSOCIAÇÃO VINCULADA A UBAM

NORDESTE
20 anos da Associação da Bahia- ASBAMT-
151 Musicoterapeutas graduados pela UCSAL
 17 Pós- Graduados pela FAMETTIG
PERNAMBUCO
Curso de Pós- graduação na FACHO- Olinda- PE
2 turmas formadas
Responsável- Carmen Lúcia Vasconcelos-
Associação de Musicoterapia do Nordeste-
Musicoterapeutas tambéms formados no RJ, GO,
PR e outros.
(Não temos dados de quantos filiados)
SIMPÓSIO BRASILEIRO SERÁ REALIZADO EM outubro
em Olinda-PE e está sendo organizado por eles.


PIAUÌ
Associação de Musicoterapia do Piauí- AMT-PI
13 Musicoterapeutas piauienses e uma formada 
no CBM-RJ.
Especialização na UFPI- 2ª a iniciar em janeiro-2013
Presidente-Karine Jericó



8888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888

MINHA VIDA DE MUSICOTERAPEUTA
Sonhei em ser musicoterapeuta desde os 12 anos de idade ao ter a informação de que existia esta profissão aqui no Brasil. Exatamente com a primeira turma do Conservatório Brasileiro de Música, do Rio de Janeiro, em 1975. Eu morava em Vitória, E.S. e tocava desde os 5 anos de idade, 3 instrumentos: flauta-doce, piano e violoncelo.


O destino quis que eu pudesse fazer o curso e me tornar uma profissional sòmente 20 anos depois. Mas a minha vida inteira me preparei para "ser Musicoterapeuta". Amar o que faço e estar disponível totalmente para os meus pacientes. Estudar, pesquisar, estar sempre buscando novos conhecimentos em benefício do bem estar daquele que eu assumo todos os dias o papel de Musicoterapeuta.

 E é com muito orgulho que vejo e encontro esta mesma vontade entre meus colegas Musicoterapeutas que compartilham esta maravilhosa profissão. Que generosamente trocam  e oferecem conhecimento aos outros colegas quando solicitamos em benefício de nossos pacientes. Mesmo quando não os conhecemos pessoalmente. Muito obrigada ! Neste dia 15 de setembro, escolhido para homenagear os Musicoterapeutas Brasileiros, sinto especial orgulho de pertencer a esta classe tão competente, batalhadora, generosa, estudiosa e ainda pouco conhecida. Viva !!!! PARABÉNS!!!! S
UCESSO !!!! Nossa profissão fez, faz e fará a diferença na vida de muito mais brasileiros. O Brasil merece !




sexta-feira, 1 de junho de 2012

MUSICOTERAPIA & CRIANÇA COM IMPLANTE COCLEAR

MUSICOTERAPIA NA REABILITAÇÃO EM UMA CRIANÇA DE 1 ANO E 11 MESES COM IMPLANTE COCLEAR




RECUPERANDO O ATRASO AUDIOMUSICOVERBAL  DE UMA CRIANÇA QUE NASCEU COM SURDEZ PROFUNDA E TEVE UM IMPLANTE COCLEAR  E A MUSICOTERAPIA COMO ALIADA NO TRATAMENTO PARA AJUDÁ-LA A OUVIR E PROCESSAR OS PRIMEIROS SONS.

sábado, 12 de maio de 2012

PROFISSIONAIS DO CEIR PARTICIPAM DE PALESTRA NA UFPI






Profissionais do Ceir participam de palestra na UFPI
11/05/2012 por Glenda Uchôa

Entender o trabalho desenvolvido pelo setor de musicoterapia e arteterapia 
do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). Esse foi um dos objetivos da 
palestra realizada na tarde da última quinta-feira (10), para os estudantes
 dos cursos de Música e Artes Visuais da UFPI (Universidade Federal do 
Piauí). A palestra foi ministra pela musicoterapeuta do Ceir, Nydia Rego e
 pela arteterapeuta, Emanoella Sato.
Na ocasião, as profissionais mostraram como acontece o atendimento e,
 também, como é o processo de reabilitação física das pessoas que iniciam
 tratamento no Ceir através das duas terapias: arte e música. Foram 
esclarecidos aspectos como forma de atendimento, orientações para o
paciente, contribuições das terapias e exemplos de pacientes que
 através dos setores de musicoterapia e arteterapia conseguiram evolução
 no tratamento.
Alunos, docentes e coordenadores prestigiaram o evento que também contou
com a apresentação da banda “Tocando em Frente”, que é formada apenas
 por pacientes do Ceir. No local também aconteceu exposição de obras de arte 
confeccionadas pelos pacientes do Centro durante a arteterapia.